Buscar
  • Natanael Leitão

Produtividade animal: boa genética e alimentação são suficientes?

Ao chegar na fazenda, é comum ouvirmos dos produtores, veterinários e zootecnistas que uma boa genética aliada a um programa alimentar de qualidade é o suficiente para obtenção dos melhores resultados de performance animal. Que estes fatores são de extrema importância para a alta produtividade, não há dúvidas, mas os avanços no estudo de microbiomas nos últimos 10 anos tem colocado a prova os conhecimentos sobre a fisiologia e genética como principais influenciadores de desempenho animal.


Microbioma consiste na população de microrganismos (bactérias, fungos, protozoários e vírus) que naturalmente habitam o intestino dos animais.



Estudos conduzidos na Universidade de Ciência Animal de Pequim apontaram que a deposição de gordura em aves mostrou-se dependente, principalmente, da população de Methanobrevibacter (um grupo de bactérias pouco conhecido).



Quanto maior a população desse grupo de bactérias no intestino das aves, maiores as taxas de deposição de gordura (Wen, 2019).


Já em gado leiteiro, estudos conduzidos em Israel (Jami, 2014) e Estados Unidos (Jewell, 2015; Lima, 2015) correlacionaram a abundância do grupo Prevotella com a baixa conversão alimentar e redução na produtividade de leite.

Quem são esses organismos? Como evitar que eles surjam no meu rebanho?

Esses microrganismos estão naturalmente presentes no sistema digestivo animal, e sua presença não implica necessariamente em um problema. O problema é quando essa população aumenta ou diminui, levando ao desequilíbrio na microbiota e redução de desempenho animal. É como se uma população de zebras aumentasse na savana, causando diminuição na população de gnus, e um desequilíbrio local.

O manejo alimentar deverá ser repensado no século XXI, visando não apenas atender as necessidades nutricionais do animal, mas também de determinados grupos de bactérias no intestino. A utilização de aditivos alimentares, como probióticos e prebióticos representam excelentes alternativas de aumentar ou reduzir as populações de microrganismos de interesse. É como se adicionássemos mais gnus na savana para restabelecermos o equilíbrio local.

É o objetivo da YLive entender como os microrganismos se relacionam com o desempenho animal e encontrar soluções para potencializá-los. Consulte nossos probióticos em desenvolvimento, faça parte do futuro da nutrição animal!


Referências: Jewell, K. A et al, 2015. Appl. Environ. Microbiol.; Lima, F. S et al, 2015. Appl. Environ. Microbiol; Wen, C et al, 2019. ISME Journal; Jami, E et al, 2014. Plos One